Número de acidentes com ciclistas aumenta 40% no 1º semestre, em Maringá

Nesta sexta-feira (13) de Julho, a RPC Maringá vinculou uma reportagem afirmando que o número de acidentes com ciclistas aumentou 40% no 1º semestre, em Maringá.
Na referida reportagem, a Ciclonoroeste deu dicas de segurança que os ciclistas poderiam se utilizar para evitar ou minimizar riscos em possíveis colisões.

Contudo, a associação busca trazer um debate para além dos mencionados na referida reportagem ao entender que a segurança dos ciclistas não é apenas de responsabilidade dos mesmos, uma vez que essa segurança é condicionada pela lei 12.587/2012 que institui a Política Nacional de Mobilidade Urbana.
Vejamos alguns trechos:
Art. 5o A Política Nacional de Mobilidade Urbana está fundamentada nos seguintes princípios:
VI – segurança nos deslocamentos das pessoas;
Art. 6o A Política Nacional de Mobilidade Urbana é orientada pelas seguintes diretrizes:
II – prioridade dos modos de transportes não motorizados sobre os motorizados e dos serviços de transporte público coletivo sobre o transporte individual motorizado;

Com base nos princípios e diretrizes expostos, é valido destacar que Política Nacional de Mobilidade Urbana, obriga os municípios acima de 20 mil habitantes à elaborar o Plano Municipal de Mobilidade Urbana, como se observa:
§ 1o Em Municípios acima de 20.000 (vinte mil) habitantes e em todos os demais obrigados, na forma da lei, à elaboração do plano diretor, deverá ser elaborado o Plano de Mobilidade Urbana, integrado e compatível com os respectivos planos diretores ou neles inserido.

É sabido que pela terceira vez foi adiado o prazo para os Planos de Mobilidade Urbana no Brasil, atrasando os avanços e melhorias que precisamos para as nossas cidades terem uma mobilidade urbana melhor e mais sustentável. Entretanto, o prazo limite para a publicação do mesmo é até o dia 12/4/2019, restando menos de 300 dias para a elaboração!

Neste contexto, Maringá está entre as cidades que não possui um Plano Municipal de Mobilidade Urbana e, até o momento, indica que o processo de formulação do mesmo não se iniciou. Assim, queremos incitar o debate e pressionar a prefeitura à elaborar o referido plano dentro dos prazos estabelecidos em lei.

A Ciclonoroeste é parceira de um movimento nacional, promovido pela União dos Ciclistas do Brasil e o Coletivo Bike Anjo, denominado “Bici nos Planos” e “De olho nos Planmobs”. Que buscam inserir a bicicleta nos planos municipais e fazer com que estes sejam elaborados no prazo.

Confira as campanhas parceiras nos sites:
http://www.deolhonosplanmobs.org/

Home

Confira a reportagem da RPC na íntegra:
https://globoplay.globo.com/v/6870893/